Início » Notícias » Água de coco: conheça os principais benefícios
Bem-Estar

Água de coco: conheça os principais benefícios

De baixo teor calórico, a bebida derivada do coco repõe líquidos e até ajuda a combater a ressaca

Refrescante, docinha e cheia de nutrientes, a água de coco é uma importante aliada da saúde. Houve um tempo em que ela era consumida basicamente nas regiões litorâneas, mas isso mudou com a industrialização da bebida, a partir dos anos 2000. Desde então, é possível encontrá-la nos centros urbanos e até usá-la como ingrediente de receitas.

Porém, será que a água de coco em caixinha é tão benéfica quanto a in natura, extraída direto da fruta? E, afinal, por que devemos incorporá-la ao cardápio do dia a dia? O artigo de hoje traz as respostas para essas e outras dúvidas. Aproveite!

Benefícios da água de coco

A bebida é fonte de açúcares e minerais, sendo considerada um isotônico natural. Apesar disso, tem baixo teor calórico. Calcula-se que 100ml contenham, em média, 22kcal. Por conta dessa composição, os prováveis benefícios à saúde são pesquisados no mundo todo. Confira alguns deles:

1. Hidrata o corpo

A água de coco ajuda a repor líquidos, sendo bastante indicada em casos de diarreia, vômito e desidratação. Os minerais e aminoácidos presentes na bebida também fornecem a nutrição necessária, mas sem pesar demais na balança, devido à pouca concentração calórica.

2. Reposição hidroeletrolítica durante e após o exercício físico

Esse isotônico natural repõe os eletrólitos como potássio, magnésio e sódio, que são perdidos no suor do exercício. Inclusive, cientistas da Malásia concluíram que beber água de coco depois da atividade física é uma ótima opção. Os praticantes apresentam menos náusea e desconfortos estomacais, em comparação com quem ingere água pura ou bebidas esportivas.

3. Melhora da ressaca

Náusea e a dor de cabeça são efeitos desagradáveis para quem consome bebidas alcoólicas com frequência. É possível que ocorram por causa da desidratação. Nesse contexto, a água de coco ajuda a amenizar a ressaca, uma vez que possui um bom conteúdo nutricional, explica a Associação Brasileira de Nutrologia. 

4. Evita cãibras

O potássio é abundante na água de coco. De acordo com a Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos, 100ml da bebida contém 162 mg do mineral

5. Contribui para a redução da pressão arterial

O potássio também atua como vasodilatador, isto é, colabora para dilatar as artérias e melhorar o fluxo sanguíneo. Desse modo, o consumo de água de coco é benéfico para quem sofre de pressão alta. Num estudo publicado no National Center for Biotechnology Information do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, notou-se uma redução significativa da pressão arterial em 71% das pessoas que ingeriram a bebida.

Tipos de água de coco

Existem diversos tipos de água de coco industrializada disponíveis no mercado brasileiro. Elas até parecem iguais, só que apresentam níveis variados de açúcares, sódio e outras substâncias. Diante disso, é importante conhecer os diferentes modos de fabricação para saber qual é a variedade mais saudável.

A lista a seguir traz as descrições detalhadas, conforme diretrizes da Instrução Normativa Nº9/2020, do Ministério da Agricultura, da Pecuária e do Abastecimento (MAPA). Acompanhe:

Água de coco integral: é a parte líquida extraída do coco em seu estado natural, sem fermentação, diluição ou adição de substâncias.

Água de coco concentrada: é o produto submetido a um processo para concentração da água de coco integral, resultando em pelo menos 30% de conteúdo sólido.

Água de coco desidratada: nesse caso, a bebida passa por uma etapa de desidratação, perdendo no mínimo 95% da umidade.

Água de coco reconstituída: é o produto que utiliza água de coco desidratada ou concentrada como base. A esse composto, pode ser adicionada água potável, água de coco integral ou ambas, além de açúcares. O resultado é uma espécie de néctar de coco, mais doce que a bebida natural.

Água de coco padronizada: essa tem como base a água de coco integral, mas pode ser acrescida de água de coco concentrada, desidratada e açúcares. Desse modo, também será mais doce que a bebida in natura.

Formas de consumir água de coco

A água de coco é um ingrediente bastante versátil. Ela vai bem em vitaminas, sucos e smoothies, entre outros preparos saudáveis. Por ser naturalmente adocicada, também dispensa uma quantidade excessiva de açúcar, ajudando na dieta de muita gente.

Abaixo, você confere duas receitas refrescantes com o produto. O modo de preparo é bem simples: basta bater os ingredientes no liquidificador até obter uma mistura homogênea. Veja só:

Smoothie de frutas vermelhas

1 xícara de chá de frutas vermelhas congeladas;

½ unidade de banana-prata madura congelada;

½ xícara de chá de água de coco;

1 colher de sopa de adoçante (eritritol, xilitol ou estévia).

Smoothie de manga e maracujá

½ unidade de manga;

1 polpa de maracujá congelada;

200ml de água de coco.

Água de coco ou água mineral?

Diante de tantos benefícios da água de coco, algumas pessoas resolvem incorporá-la à dieta sem pensar duas vezes. No entanto, é preciso cuidado. Por mais que essa seja uma bebida de baixo teor calórico, é importante lembrar que ela contém açúcares, podendo ser contraindicada em alguns cardápios.

Nenhum produto substitui a boa e tradicional água. Ela continua sendo o líquido ideal para manter a homeostase corporal – o equilíbrio das funções do organismo.

Como dito anteriormente, a água derivada do coco pode ser indicada em períodos específicos, seja para recuperar os minerais após a atividade física, seja para ajudar na reidratação em caso de vômito ou diarreia. Ela é, portanto, um complemento à água mineral. Na dúvida, consulte-se com um nutricionista para avaliar a possibilidade de introduzir o isotônico natural na sua alimentação.

Água de coco e diabetes

Os especialistas da Associação Brasileira de Nutrologia sugerem consumir entre 200ml e 250ml da bebida por dia, ou em dias alternados. A quantidade específica varia conforme as necessidades nutricionais de cada pessoa.

Nesse ponto, fica o alerta para quem tem diabeteshipertensão arterial sistêmica ou problemas renais. Apesar das vantagens para a saúde, a concentração de sódio e carboidratos da bebida pode atrapalhar os resultados da dieta, caso seja consumida em excesso.

Vale dizer que, num estudo publicado pelo National Center for Biotechnology Information feito com ratos, o consumo de água de coco foi relacionado a uma melhora nos níveis de açúcar no sangue. Isso pode ter a ver com a ingestão de magnésio, que reforça a sensibilidade à insulina.

No fim das contas, não há alimento proibido para diabéticos. O que deve ser feito é manter os exames de sangue em dia e o controle da alimentação a fim de garantir mais qualidade de vida ao diabético. Peça a ajuda de profissionais da nutrição para elaborar um plano alimentar individualizado e adequado ao seu quadro clínico.

Dica: Metais pesados nos alimentos: cuidados e perigos

Melhor água de coco da indústria brasileira

A água de coco in natura é a opção mais saudável. Na falta dela, existem alternativas industrializadas, de excelente qualidade.

Para ajudar os consumidores na escolha do melhor produto, a PROTESTE avaliou 13 lotes de marcas de água de coco verde de caixinha disponíveis no mercado. Compuseram a amostra quatro variedades integrais, cinco reconstituídas e quatro padronizadas.

As análises foram conduzidas em laboratório devidamente credenciado junto ao MAPA. As equipes observaram os seguintes parâmetros:

  • Rotulagem: se as informações da embalagem respeitam a legislação e orientam o consumidor adequadamente.
  • Veracidade das informações nutricionais: se a concentração de proteínas, carboidratos, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, sódio e potássio corresponde aos valores descritos no rótulo.
  • Higiene: se há presença de bactérias, bolores ou outras matérias estranhas na composição.
  • Análises físico-químicas: se os níveis de pH, sólidos solúveis, graduação alcoólica, sódio e potássio são adequados.
  • Metais pesados: se há presença de arsênio, cádmio, chumbo ou estanho na fórmula.
  • Análise sensorial (escala hedônica): o que os consumidores pensam a respeito de atributos como aparência, aroma, sabor e turbidez dos produtos analisados. Foram ouvidas mais de 50 pessoas.

O teste realizado pela PROTESTE apontou variações importantes na quantidade de potássio dos produtos. Também ficou evidente a aceitação global dos consumidores em relação a marcas específicas, que foram consideradas mais agradáveis ao paladar.

Por Minha saúde

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário