Início » Notícias » Arroz e feijão: combinação brasileira é queridinha dos nutricionistas
Bem-Estar

Arroz e feijão: combinação brasileira é queridinha dos nutricionistas

Foto: Reprodução
A dupla fornece nutrientes essenciais e pode ajudar a controlar o colesterol

A combinação de arroz e feijão faz parte da base alimentar brasileira. Segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF – 2017/2018), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esses produtos estão entre os itens preferidos para o cardápio do dia a dia. A frequência de consumo de arroz chega a 76,1%, enquanto o feijão vem logo atrás, com 60%.

Mas nem sempre foi assim. Quando os portugueses desembarcaram aqui, encontraram povos indígenas que se alimentavam de tubérculos, raízes de plantas, como batata, mandioca e cenoura. O antropólogo Câmara Cascudo chegou a descrever esses hábitos no livro História da Alimentação no Brasil e destacou que, até o período da escravatura, era mais comum comer feijão com farinha e carne seca.

O cenário começou a mudar a partir do século XVIII. Nessa época, a coroa portuguesa autorizou a abertura da primeira beneficiadora de arroz, no Rio de Janeiro. O grão, importado da Ásia, passou a ter maior valor comercial e se popularizou na colônia.

Embora não se saiba ao certo quem resolveu misturar arroz e feijão, a dupla logo fez sucesso. E os nutricionistas aprovam o resultado. Além de saboroso, o prato traz
diversos benefícios à saúde. Saiba mais a seguir.

Índice:

Propriedades do arroz

O arroz é uma fonte de carboidrato, ou seja, fornece energia. Como não tem glúten, o cereal acaba sendo uma alternativa para pessoas que apresentam restrição a esta proteína. Saiba mais sobre os benefícios do grão.

Redução da gordura

Um estudo conduzido por pesquisadores da Baylor College of Medicine, nos Estados Unidos, apontou que ingerir uma porção de arroz todos os dias ajuda na redução da gordura no organismo. Além de fornecer aminoácidos essenciais e minerais, como o potássio e magnésio. Por isso, o consumo do grão deve ser incentivado para melhorar a qualidade nutricional do cardápio.

Renovação celular 

O arroz é rico em vitaminas A, E e do complexo B. Elas contribuem para a regeneração celular e a formação de glóbulos vermelhos, que levam oxigênio aos órgãos e tecidos do corpo.

Melhora o intestino

O arroz integral é o melhor tipo quando falamos em benefícios para o intestino. O principal motivo é a quantidade de fibras que ajuda na digestão e absorção dos nutrientes. Além disso, o grão tem a maior quantidade de proteínas, em comparação com outros tipos. Assim, se torna uma boa opção para quem busca reestruturação muscular.

Tipos de arroz

Você sabe qual variedade escolher? Veja abaixo um pouco sobre as principais opções do mercado.

Arroz branco

O arroz branco polido passa por um processo chamado de brunição onde é lixado para ficar com o aspecto clarinho e uniforme. Nesse processo, ele perde a maior parte dos nutrientes, que se concentram na casca. Portanto, torna-se basicamente uma fonte de energia, sem grande quantidade de vitaminas e minerais. Todavia, pode ser enriquecido através de preparações variadas ao incluir legumes, leguminosas e oleaginosas. 

Arroz parboilizado

O arroz parboilizado também é descascado e polido. No entanto, ele consegue manter uma concentração maior de nutrientes por causa da parboilização. O procedimento consiste em imergir os grãos em água quente e secá-los antes de embalar para a venda. O resultado é um produto mais soltinho e que dura mais tempo na despensa.

Arroz integral

Esse tipo de arroz mantém a casca com camadas de farelo. O Centro de Pesquisa em Alimentos da USP explica que o tipo integral possui 20% mais de proteína e o dobro de fibras alimentares, em comparação com o arroz branco.

Vale lembrar que as fibras aumentam a sensação de saciedade. Então, o arroz integral é a escolha certa para quem quer comer menos e garantir bons níveis nutricionais.

Propriedades do feijão

Segundo o Departamento de Economia Rural, da Secretaria do Estado da Agricultura e Abastecimento, são 16 tipos de feijão cultivados em solo tupiniquim, com tamanhos, cores e nomes variados.

Sociedade Nacional de Agricultura (SNA) constatou que o tipo carioca é o mais popular e corresponde a 70% do consumo nacional. Outra variedade bastante presente nos lares é o feijão-preto, que possui excelente composição nutricional. Conheça alguns benefícios dos grãos:

Combate a anemia

O feijão é uma importante fonte de ferro. Além de colaborar no transporte de oxigênio para as células, esse mineral combate a anemia ferropriva, doença que pode causar fraqueza, falta de ar e hemorragias excessivas.

A absorção do nutriente melhora quando há presença de vitamina C no organismo. Mais um ponto para a leguminosa, que é rica em vitaminas.

Por Minha Saúde

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário