Início » Notícias » Como viajar de avião com um cachorro de suporte emocional?
Pets

Como viajar de avião com um cachorro de suporte emocional?

Viajar com cachorro ainda é algo bem burocrático no Brasil. Mas você sabe o que é um animal de apoio emocional? Esse conceito não define um simples bichinho de estimação, mas ao mesmo tempo também não engloba um cachorro de trabalho ou serviço, como muitos podem pensar. Na verdade, são pets assistenciais com fins terapêuticos, que auxiliam no controle de transtornos psicológicos do tutor – como depressão, síndrome do pânico e ansiedade -, e por isso são considerados cães de apoio emocional.

Para ter um animal de suporte é importante que a indicação do pet seja feita por um psiquiatra como parte do tratamento do paciente. Nesses casos, é possível viajar com cachorro de avião dentro da própria cabine, dependendo da companhia aérea. Quer entender melhor como isso funciona? Saiba tudo sobre o assunto abaixo!

O que é um cachorro de suporte emocional?

Ao contrário de um típico cachorro de trabalho – como um cão-guia ou cão de guarda -, o cão de apoio emocional não é treinado para exercer nenhuma função ou tarefa específica. Chamados oficialmente de Animais de Assistência Emocional (AAE), esses pets têm o único objetivo de trazer mais conforto e bem-estar para o seu tutor, fornecendo suporte e maior sensação de independência aos pacientes que sofrem com algum tipo de transtorno psicológico. Isso vale para distúrbios como:

  • Ansiedade
  • Depressão
  • Autismo
  • Estresse pós-traumático

Ah, e para ter esse tipo de apoio prestado por pets não é necessário se limitar apenas a uma raça de cachorro. O suporte emocional também é encontrado em outras espécies: pode ser um gato de apoio emocional, como também pode ser um porquinho da índia ou tartaruga, por exemplo. O importante mesmo é que o animal não represente um perigo às pessoas ao redor. Geralmente, cães e gatos são os preferidos por serem mais fáceis de treinar e socializar.

Como viajar de avião com um cão de apoio emocional?

Essa é uma dúvida que pode surgir, e é algo que vai depender da companhia aérea e do destino da viagem. Geralmente, o serviço é possível e gratuito apenas quando têm como origem ou destino os países que reconhecem o conceito de animal de suporte emocional, como Estados Unidos, Colômbia e México. Já no Brasil, por exemplo, ainda não existe uma legislação sobre esse tipo de situação e por isso o cão de apoio emocional não é aceito em voos nacionais.

As diferentes companhias aéreas também possuem regras próprias a respeito disso. Uma delas é que somente cães podem ser levados dentro da cabine do avião, limitando o acesso de animais de outras espécies. Além disso, é importante ficar atento às restrições abaixo:

  • Gol: permite cães de apoio apenas em voos em que origem ou destino sejam os Estados Unidos e Cancún.
  • Latam: permite cães de apoio apenas em voos em que origem ou destino sejam os Estados Unidos, México e Colômbia.
  • Azul: permite cães de apoio apenas em voos em que origem ou destino sejam os Estados Unidos.

Em todos os casos, é importante preencher um formulário, que é disponibilizado pela empresa, solicitando o transporte do animal e apresentar um laudo de suporte emocional, onde o médico declara a necessidade do pet para o bem-estar do dono. Além disso, não esqueça que outros documentos são indispensáveis para viajar com o cachorro, como carteira de vacinação atualizada e certificado veterinário internacional, atestando que o animal está em boas condições de saúde para a viagem.

Como registrar um animal de suporte emocional?

Para ter um cachorro de apoio emocional registrado, o paciente deve ser avaliado e diagnosticado por um médico psiquiatra. Somente um profissional da área poderá indicar e prescrever a presença do animal como parte do seu tratamento. A partir disso, o médico em questão deve apresentar uma carta que ateste a necessidade do cachorro para o bem-estar e apoio do paciente. 

O tutor precisa estar sempre acompanhado desta carta, com a devida identificação do profissional, para usufruir dos benefícios e serviços que permitem a assistência pet. Em algumas cidades, como no Rio de Janeiro, já existem leis que permitem a presença de cães de apoio emocional em espaços públicos, desde que o dono apresente a carta de animal suporte emocional emitida por um psiquiatra.

Cães de apoio emocional: conheça as raças mais indicadas

Quando se trata de um cão, o suporte emocional pode vir de qualquer raça. Mas sabia que existem alguns animais que são mais aptos para isso? Geralmente isso tem muito a ver com a personalidade e o temperamento associados a cada raça. É importante que o animal seja gentil, paciente, sociável e tenha um bom comportamento, sendo fácil de treinar e esteja sempre presente ao lado do tutor. Algumas raças de cachorro que desempenham muito bem esse papel são:

Por Patas de Casa

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário