Início » Notícias » IZA aparece sensual em estética futurista no clipe de “Sem Filtro”
Cultura & Entretenimento

IZA aparece sensual em estética futurista no clipe de “Sem Filtro”

A cantora IZA (FOTO: Reprodução)

“Sem Filtro” explora o R&B com a voz de IZA e é uma composição de Luccas Carlos, Rafinha RSQ e Carolzinha. Ela fala sobre relacionamentos passageiros e fugazes. A produção é co-assinada Sérgio Santos, que apostou em efeitos sintetizadores em seu trabalho com Rafinha RSQ, que também produziu a música.

Os visuais futuristas e looks estonteantes sustentam a estética do vídeo.

Confira “Sem Filtro”!

É o primeiro lançamento de IZA desde “Gueto”, sucesso da cantora lançado no início de junho deste ano. Ambas as músicas deverão fazer parte do aguardadíssimo segundo álbum da cantora carioca.

Caetano Veloso, Vitão, IZA e Duda Beat lançam ‘Canção pra Amazônia’

“Ou se salva a selva ou não se salva o mundo!” A “Canção pra Amazônia”, um manifesto artístico em prol da conservação da maior floresta tropical do planeta, é interpretada por 31 artistas da cena musical brasileira e será lançada internacionalmente na COP 26, por meio de uma projeção com transmissão online no New York Times Climate Hub, no dia 10 de novembro, em Glasgow. O evento tem a curadoria da Global Canopy e contará com a presença de lideranças indígenas e ativistas do Brasil.

(Foto: Divulgação)

De autoria do letrista e compositor Carlos Rennó com melodia de Nando Reis, a canção alerta para as constantes ameaças à Amazônia em um momento crucial para o futuro climático da Terra. Estudos mostram que áreas degradadas da floresta já estão emitindo mais carbono do que absorvendo, e em poucos anos ela não será mais capaz de gerar chuva suficiente para se sustentar, caso as atuais taxas de desmatamento não sejam interrompidas. Isso impediria o cumprimento de qualquer compromisso global de redução de emissões, porque a Amazônia representa um enorme estoque de carbono no planeta.

Disponibilizada em áudio e vídeo, a Canção pra Amazônia é um grande apelo à defesa da maior floresta tropical do planeta no momento em que o governo brasileiro tenta barganhar recursos internacionais enquanto, internamente, promove uma política antiambiental que tem estimulado atividades criminosas na floresta, como garimpo, extração predatória de madeira, queimadas intencionais, e o ataque aos povos indígenas. Imagens do Greenpeace que registram tanto as belezas como as agressões à Amazônia compõem o clipe.

“A situação da Amazônia é dramática, grave e representa bem a catástrofe climática que estamos vivendo. E para piorar, temos um Presidente que não tem nenhum compromisso com o combate ao desmatamento, muito pelo contrário: ele operou um desmonte nos órgãos de fiscalização, incentiva o garimpo ilegal… É com esse objetivo que fizemos a canção: uma tentativa desesperada de chamar a atenção para a destruição que está em curso. Estamos à beira de um ponto em que não haverá retorno”, afirma o cantor Nando Reis.

“Que essa música possa marcar um momento de virada na proteção da Amazônia. Seu lançamento internacional durante a COP, dias depois do governo brasileiro assinar, ao lado de outros 127 países, a Declaração de Florestas prometendo zerar o desmatamento até 2030, manda um recado a todos os governantes, incluindo o brasileiro: vocês serão cobrados pelo que estão prometendo, e o mundo todo está de olho”, afirma a diretora executiva do Greenpeace Brasil, Carolina Pasquali.

Vozes em prol da Amazônia

Participam da canção artistas de diferentes estilos musicais e gerações da cena musical brasileira: Agnes Nunes; a dupla Anavitória; Arnaldo Antunes; Baco Exu do Blues; Caetano Veloso; a atriz Camila Pitanga; Céu; Chico César; Criolo; Daniela Mercury; Diogo Nogueira; Djuena Tikuna; Duda Beat; Elza Soares; Flor Gil; Gaby Amarantos; Gal Costa; Gilberto Gil; Iza; Majur; Maria Bethânia; Milton Nascimento; Nando Reis; Péricles; Preta Gil; Rael; Rincon Sapiência; Samuel Rosa; Thaline Karajá; Vitão; e o sambista Xande de Pilares. Todos responderam ao convite e cederam suas vozes e imagens para o projeto.

A Canção pra Amazônia foi escrita entre o final de 2019 e o início de 2020. A gravação da música levou cerca de sete meses, entre fevereiro e agosto de 2021, em função da pandemia. Cada artista gravou seu trecho separadamente, como forma de minimizar os riscos de contaminação por Covid-19. Por isso, houve um intenso trabalho logístico nos bastidores para garantir que todos os artistas participassem do clipe da canção de maneira segura e eficiente.

A Canção pra Amazônia é uma iniciativa do Greenpeace Brasil e da Relicário Produções, que cuidaram da produção executiva da ação. O projeto contou com o apoio da Articulação dos Povos Indígenas no Brasil (Apib), da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e da Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional – FASE Amazônia.

POR: FERNANDA CRISIL

New York Times Climate Hub
Data: 10 de novembro | 15h00 (GMT-3)
Transmissão ao vivo online – Clique aqui