Início » Notícias » Máscaras: a melhor proteção contra o coronavírus
Bem-Estar

Máscaras: a melhor proteção contra o coronavírus

Foto: laudmed.com.br

09 de dezembro de 2021 (Bibliomed). Três metros não são suficientes para garantir a proteção contra a COVID-19. Mesmo a essa distância, leva menos de cinco minutos para uma pessoa não vacinada recebendo a respiração de uma pessoa com COVID-19 se tornar infectada com quase 100 por cento de certeza. Essa é a má notícia. A boa notícia é que, se ambos estiverem usando máscaras médicas bem ajustadas ou, melhor ainda, máscaras com filtros, o risco cai drasticamente. Um estudo investigou até que ponto as máscaras protegem e sob quais condições de uso. No processo, os pesquisadores determinaram o risco máximo de infecção para inúmeras situações e consideraram vários fatores que não foram incluídos em estudos semelhantes até o momento.

Os pesquisadores ficaram surpresos com o quão grande é o risco de infecção pelo coronavírus. No estudo, descobriu-se que o risco de infecção sem o uso de máscaras é enormemente alto depois de apenas alguns minutos, mesmo a uma distância de três metros, se as pessoas infectadas tiverem carga viral alta da variante delta do SARS-CoV- 2 vírus. E tais encontros são inevitáveis ??em escolas, restaurantes, clubes ou mesmo ao ar livre.

Tão alto quanto o risco de infecção sem a proteção boca-nariz, as máscaras médicas protegem de forma eficaz. O estudo confirma que as máscaras que protejam contra as partículas mais finas de poeira e aerossol e, quando essas máscaras podem filtrar partículas de 0,11 µm (tamanho de partícula de coronavírus COVID-19), fornecem proteção eficaz contra o vírus. As máscaras desta classe (ex: FFP2, KN95) devem capturar pelo menos 94% das partículas transportadas pelo ar, e são particularmente eficazes na filtragem de partículas infecciosas do ar respirado – especialmente se forem vedadas o mais firmemente possível no rosto.

Se tanto a pessoa infectada quanto a não infectada usarem máscaras deste tipo, bem ajustadas, o risco máximo de infecção após 20 minutos dificilmente será superior a um por mil, mesmo na distância mais curta. Se suas máscaras não se ajustarem bem, a probabilidade de infecção aumenta para cerca de 4%. Se ambos usarem máscaras médicas bem ajustadas, o vírus provavelmente será transmitido em 20 minutos com uma probabilidade máxima de dez por cento. O estudo também confirma a suposição intuitiva de que, para uma proteção eficaz contra infecções, em particular a pessoa infectada deve usar uma máscara que filtre o melhor possível e se ajuste bem ao rosto.

Fonte: PNAS. DOI: 10.1073/pnas.2110117118.

Via: Boa Saúde / Terra

Sobre o autor

radioro

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário