Início » Notícias » Mulher compra porquinha acreditando que não iria crescer e ela chega a 250 Kg
Pets

Mulher compra porquinha acreditando que não iria crescer e ela chega a 250 Kg

Rosângela está no quintal deitada sobre a porca Foto: Reprodução
Hoje, Lilica tem 1,60 metros, pesa 250kg e come 5kg de comida ao dia

Rosângela Martins dos Santos de Lara, de 50 anos, é moradora de Peruíbe, no litoral de São Paulo, e acabou sendo enganada ao comprar um porco.

Ela achava que o animal ficaria pequeno, mas agora Lilica, como foi chamada a leitoa, já pesa 250 kg e come cerca de 5kg de comida ao dia

Em entrevista ao G1, Rosângela contou que a três anos viu a irmã do animal na casa de uma amiga e foi convencida a comprar, pois havia a promessa de que ele não cresceria.

“O moço [vendedor] me enganou, falou que ela ia ficar pequena. Ela era o filhote menor que tinha. Peguei como mini porco”, destacou ela.

Lilica quando filhote
Lilica quando filhote (Foto: Arquivo Pessoal)

No entanto, com o passar do tempo, a mulher percebeu que o animal continuou crescendo e necessitava cada vez de mais comida.

“Ela foi crescendo, crescendo, e fui vendo que de mini porco não tinha nada. Agora, está esse ‘monstro’”, brinca.

Rosângela está no quintal deitada sobre a porca
Rosângela está no quintal deitada sobre a porca (Foto: Arquivo Pessoal)

Hoje, a leitoa mede 1,60 metros e se alimenta basicamente de frutas, legumes e ração.

Apesar do seu tamanho, Lilica é tratada como um animal de estimação. Fica dentro de casa e divide o quarto com Rosângela e o marido.

Além disso, ela tem seu próprio colchão, dorme com o ventilador ligado para se refrescar à noite, sabe fazer as necessidades no lugar certo e aprendeu a voltar do passeio sozinha.

A porca está deitada no sofá ao lado de Rosângela
A porca está deitada no sofá ao lado de Rosângela (Foto: Arquivo Pessoal)

No bairro Ribamar, Lilica chama a atenção de todos os moradores, mas seu tamanho divide opiniões. Alguns acham engraçado a situação, já outros acreditam que Rosângela é meio louca por tê-la como animal de estimação.

“Chegaram a me oferecer R$ 1.500 para matá-la e comer. Mas eu disse: minha porquinha não está à venda. Quem quiser comer, vai no frigorífico”, finaliza.

Veja o vídeo:

Por: Leticia Schneider/Amo Meu Pet

Sobre o autor

radioro

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário