Início » Notícias » O que é magnetoterapia?
Pets

O que é magnetoterapia?

A utilização de campos magnéticos de forma terapêutica como conhecemos atualmente, começou a ganhar notoriedade no início do século XIX, porém a utilização da energia magnética com objetivo de cura, existe há milhares de anos.

A palavra magneto tem origem na cidade de Magnésia, na Grécia, e significa “ímã”. Os documentos mais antigos encontrados sobre a magnetoterapia datam de 2500 anos a.c. na China, mas sabe-se que a utilização terapêutica de campos magnéticos pode ser ainda mais antiga.

Portanto, para descobrir o que é magnetoterapia e quais são os benefícios que ela pode trazer para pets que sofrem com alguma enfermidade, não deixe de ler este artigo até o fim!

O que é a magnetoterapia?

A magnetoterapia se baseia na aplicação de campos magnéticos no organismo de forma terapêutica, através de uma corrente elétrica. Todas as substâncias, sejam elas líquidas, sólidas ou gasosas, sofrem influência do campo magnético. Sua ação irá depender das características de absorção de cada substância.

O campo magnético irá atuar reorganizando as células e alinhando suas polaridades. Além disso, o pH do organismo também é equilibrado durante o processo.

É uma terapia indolor e que não emite qualquer tipo de som, o que é uma ótima alternativa para o uso na medicina veterinária, por não trazer desconforto ao animal durante a sua execução.

Quais são os benefícios trazidos pela Magnetoterapia?

Um dos principais benefícios da magnetoterapia é o fato de esse ser um procedimento completamente indolor para o pet. Além disso, não é invasivo (ou seja, não exige qualquer tipo de manipulação excessiva, cortes ou “furadas”), além de ser bastante versátil em suas formas de aplicação (com uso de bobinas planas, campo envolvente – túnel ou colchonetes).

O tratamento deve ser feito de modo personalizado para cada paciente. A seguir, veja os benefícios que ela traz para a saúde dos pets!

Redução da dor e dos processos inflamatórios

Um dos benefícios mais marcantes da magnetoterapia está na redução da dor e da inflamação. Atua diretamente nas terminações nervosas, além de causar um relaxamento na musculatura.

Estimula a consolidação óssea

Um dos objetivos de utilizar a magnetoterapia no pós-operatório imediato é por conta de sua ação direta na cicatrização óssea. A terapia atua no mecanismo de absorção de cálcio pelos óssos, estimulando o osso a se regenerar mais rápido, reduzindo assim o tempo de recuperação após uma cirurgia, além de melhorar a qualidade de vida dos pacientes com alterações osteoarticulares.

Redução do estresse

Outra vantagem, é a redução do estresse. Pets que se sentem ansiosos, seja por fatores físicos (como a dor) ou emocionais (como a ausência dos tutores ou a existência de traumas) podem se beneficiar com os efeitos tranquilizantes da terapia.

Melhora dos padrões de sono

Além de reduzir o estresse, a magnetoterapia também faz com que os animais passem a dormir muito melhor. E, com isso, toda a saúde acaba melhorando, já que boas noites de sono são revigorantes e ajudam na regeneração celular.

Melhora dos níveis de energia

Pets cansados e apáticos também costumam demonstrar melhoras nos níveis de energia após algumas sessões de magnetoterapia. Isso é ocasionado tanto pela redução de seus sintomas como pelo equilíbrio promovido pela terapia no organismo.

Controla hipertensão

Infelizmente, cada vez mais, animais de estimação sofrem com alterações na pressão arterial. Muitas vezes isso é ocasionado por problemas como doença renal crônica, alterações na tireoide e a existência de problemas cardíacos. Um dos efeitos da magnetoterapia é o equilíbrio da pressão.

Fortalecimento do sistema de defesa

A renovação celular e o aumento do fluxo de sangue pelo organismo são essenciais para a melhora do sistema imunológico de nossos pets. Assim, você sentirá que eles ficarão bem mais fortes e ativos!

Reparação de células e tecidos

Novamente, o fluxo sanguíneo melhorado faz com que a cicatrização e os processos variados de renovação das células sejam otimizados. Assim, tecidos são mais rapidamente reparados e todo o organismo sai ganhando com muito mais saúde!

Melhora da circulação

A melhora da circulação também é algo essencial para garantir o bom funcionamento dos órgãos. A vasodilatação resultante do relaxamento das paredes dos vasos sanguíneos, faz com que os nutrientes cheguem de forma mais precisa no local afetado, além de contribuir com a eliminação de toxinas.

Estímulo da produção de proteínas

Por fim, a magnetoterapia também é uma importante aliada para a melhora da produção de novas proteínas. Um bom exemplo é o colágeno, essencial para os ossos, músculos e tecidos relacionados à pele, o que faz com que a reparação dessas estruturas seja muito mais rápida.

Quais são as doenças que podem ser tratadas?

Agora, conheceremos alguns dos problemas de saúde que podem ser tratados com a ajuda desse procedimento!

  • dor aguda e crônica;
  • contraturas musculares;
  • edemas (inchaços);
  • cicatrização de feridas;
  • consolidação óssea;
  • recuperação de fraturas;
  • tendinopatias;
  • problemas circulatórios;
  • contusões e hematomas;
  • artrites e artroses;
  • neurites/ dor neuropática;
  • disfunção cognitiva (Alzheimer canino);
  • osteoporose;
  • contipação e fecalomas.

Epilepsia

Pets epilépticos também podem se beneficiar da magnetoterapia, que tende a alinhar os impulsos nervosos do animal e reduzir as crises. É, portanto, uma terapia que visa otimizar a qualidade de vida desses pacientes.

A magnetoterapia substitui os tratamentos convencionais?

Não. A magnetoterapia pode ser utilizada como tratamento complementar aos prescritos pelo médico veterinário clínico, envolvendo medicações, cirurgias e outros procedimentos.

Somente os médicos veterinários fisiatras (fisioterapeutas) são indicados para realizar a magnetoterapia nos animais. Essa terapia faz parte de um tratamento fisioterápico completo, que será prescrito de forma individual para cada caso.

Há contraindicações para o seu uso?

Praticamente não existem contraindicações no uso da magnetoterapia. A seguir, conheceremos algumas precauções que devem ser observadas durante o tratamento.

Feridas recentes

Devido à promoção da circulação, a magnetoterapia é contraindicada no caso de ferimentos muito recentes. Caso seja utilizada nesses casos, pode ocasionar sangramentos e fazer com que a cicatrização seja dificultada.

Pacientes (e veterinárias) gestantes

Futuras mamães também devem evitar fazer uso (ou aplicar) desse tipo de procedimento, principalmente no primeiro trimestre da gestação. Novamente, a promoção da circulação pode gerar alguma complicação nesses casos.

Animais com marca-passos

Marca-passos são dispositivos utilizados em pacientes com problemas cardíacos. O seu objetivo é sempre controlar os batimentos do coração, estabilizando-os. A magnetoterapia não deve ser utilizada em cães que façam uso desse tipo de dispositivo.

Hipotensão

Devido ao efeito vasodilatador da magnetoterapia, pacientes que apresentam hipotensão não devem realizar o procedimento, para evitar que a pressão caia ainda mais e cause maiores problemas.

Doenças mitóticas

Ainda não se sabe exatamente o mecanismo pelo qual a magnetoterapia piora casos de infecções com fungos. Caso seu pet apresente alguma lesão de pele suspeita, é importante diagnosticar corretamente e excluir uma infeção por fungos antes de iniciar a terapia.

Algumas observações no uso da magnetoterapia

Paciente com pinos ou placas metálicas

O material utilizado nos implantes para estabilização de uma fratura ou correção uma alteração óssea devem estar no grupo dos classificados como “diamagnético”, como aço cirúrgico ou titânio, por exemplo. Estes não interferem na aplicação do campo magnético e os pacientes podem realizar a magnetoterapia sem problemas.

Materiais cirúrgicos de baixa qualidade (com ferro, níquel) são muito susceptíveis ao campo magnético, o que pode causar o deslocamento do implante se submetido a terapia. Seria algo parecido como quando realizamos uma ressonância magnética e precisamos tirar tudo que seja metálico antes do procedimento. A ressonância nada mais é do que um campo magnético, mas com uma potência muuuuito maior que a da magnetoterapia.

Pacientes com câncer

Esse assunto ainda causa muita polêmica entre os médicos veterinários fisiatras. Alguns acreditam que o uso do campo magnético pode piorar a neoplasia, por estimular o seu crescimento, enquanto que outros profissionais admitem que a magnetoterapia é uma forma de tratamento em alguns tumores específicos.

Lembrando que é o médico veterinário fisiatra o responsável por avaliar se o seu grande amigo está ou não apto para receber essa terapia. Não deixe de tirar as suas dúvidas com o profissional!

Neste artigo, você pôde compreender melhor o que é magnetoterapia. Essa é uma técnica que pode ajudar bastante no alívio de dores e no tratamento de uma série de problemas de saúde em nossos pets.

Por Ative

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário