Início » Notícias » O que fazer quando a criança não quer comer
Bem-Estar

O que fazer quando a criança não quer comer

Foto: Reprodução
Se a criança recusa alimentos, pais devem ficar atentos. Conheça algumas dicas práticas para ajudar nesse processo

Sabemos que as crianças muitas vezes podem resistir a comer. Contudo, muitas vezes a preocupação dos pais é infundada. De acordo com a professora do Instituto de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Elisa Maria de Aquino Lacerda, se a curva de crescimento da criança estiver adequada, não há motivos para preocupação. “Mas se a curva de crescimento demonstrar que ela está ganhando pouco peso, é preciso procurar um profissional de saúde.

Assim, somente após avaliação do pediatra será possível verificar se doenças comuns da infância podem estar resultando na redução do apetite. Ou ainda no baixo ganho ou perda de peso apresentada.

O que fazer se a criança recusa somente determinados alimentos?

Quando a criança rejeita um alimento mas aceita outros do mesmo grupo, não é um grande problema. Portanto, deve-se evitar obrigá-la a comer o alimento recusado, pois isso pode gerar aversão. No entanto, não é para desistir. O número de vezes que se oferece um alimento para uma criança aumenta as chances de ela aceitá-lo.

Se a criança se recusa a comer no almoço e no jantar, não é uma boa saída preparar um lance. Pois assim o pequeno aprende que, quando rejeitar a comida, vai receber outro alimento em troca. Além disso, devem ser observados aspectos relacionados ao comportamento ou à relação com a família. Já que a criança pode usar a alimentação para expressar sentimentos.

Diante disso, é bom que a família reflita como tem sido sua atitude durante a refeição. Se é um horário em que há tensão familiar. Ou se a pessoa que oferece comida está demonstrando irritação com essa tarefa. Pois a recusa do alimento pode ser uma forma de chamar atenção.

11 sugestões práticas para lidar com a criança que não quer comer

  1. Fazer do horário da refeição um momento tranquilo e de prazer.
  2. Variar os alimentos e procurar oferecer preparações saborosas.
  3. Colocar diversos alimentos no prato para proporcionar mais opções.
  4. Montar um prato com apresentação atraente para que a criança se sinta motivada a comer.
  5. Oferecer a comida da criança no mesmo horário da refeição da família.
  6. Na hora de ofertar a comida, conversar com a criança e manter tranquilidade, não deixando transparecer preocupação.
  7. Não obrigar a criança a comer e não insistir para que ela raspe o prato. Parar de alimentá-la quando perceber que ela está satisfeita.
  8. Não oferecer recompensas, como doce, brinquedo, televisão, para fazer com que a criança coma mais.
  9. Se houver rejeição frequente de determinados alimentos, não deixar de oferecê-los: apresente-os de forma diferente.
  10. Se a criança recusar a refeição, não a substituir por lanches/merendas ou algum alimento preferido pela criança. O ideal é esperar um tempo e, se perceber que a criança está com fome, preparar um novo prato com a comida que foi oferecida na refeição recusada; ou então esperar o próximo horário de refeição.
  11. Não oferecer outros alimentos, nem o leite materno, em horário muito próximo

Por Minha Saúde

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário