Início » Notícias » Saiba o que (não) fazer para produzir mais leite materno
Bem-Estar

Saiba o que (não) fazer para produzir mais leite materno

Foto: Reprodução
O que comer para aumentar a produção do leite materno? Cerveja preta é boa para produzir mais leite? Identifique mitos e aprenda algumas verdades sobre o assunto

A quantidade de leite materno disponível costuma ser uma grande preocupação das mães. Principalmente as de primeira viagem. Diante disso recorrem a alimentos e bebidas que supostamente aumentariam a produção de leite. Mas será que existe relação entre a alimentação da mãe e a quantidade de leite disponível? Vamos ver o que dizem os especialistas:

“Em geral, alimentos que nossas mães e avós nos dão e recomendam para aumentar a produção do leite tem muito líquido, e o líquido é importante para a produção de leite”, afirma Jorginete de Jesus Damião, professora do Instituto de Nutrição da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Segundo a especialista, canjas e canjicas podem ser consumidas, não porque irão aumentar a produção de leite, mas porque ajudam a hidratar. “Esses são alimentos associados ao carinho, e isso é uma prática boa, que não tem contraindicação”, explica a professora.

Portanto, não existe comprovação que alguma comida ou bebida aumente ou reduza a produção de leite materno. Assim,  o que determina a produção de leite é a quantidade de vezes que o bebê mama no peito ou quanto mais a mãe esvazia suas mamas. Ou seja, quanto mais o bebê mamar, mais leite a mãe terá.

Vejamos outros mitos e verdades sobre a alimentação da mãe durante o período de amamentação.

Cerveja preta

Não há evidências de que cerveja preta promova aumento da produção de leite. E pode até ser arriscado tomar qualquer tipo de álcool, pois ele passa para o leite materno. Portanto, cervejas não devem ser consumidas.

Cerveja preta

Beber água

É normal durante o período de amamentação a mulher sentir mais sede, devido ao esforço que o organismo dedica à produção de leite. Portanto, a dica é beber mais água que o habitual. A mãe que não tem esse hábito deve incluí-lo em seu dia a dia. “Também é possível aumentar o consumo de líquidos tomando chás. Só os chás estimulantes não são recomendados. Lembrando que não precisa colocar açúcar no chá”, adverte Jorginete.

Leite fraco

Não existe leite fraco. Ou seja, o leite materno tem todas as substâncias e vitaminas na quantidade certa que o bebê precisa para crescer e se desenvolver sadio.

Alimentos in natura

A orientação para se ter uma alimentação saudável é consumir o máximo possível de alimentos in natura. Ou seja, é importante comer frutas, legumes, verduras, arroz, feijão, carnes, e preparações ou receitas feitas em casa. Por exemplo, os alimentos ultraprocessados em geral tem muito sódio e devem ser evitados. Isso porque favorecem doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer. Além disso, contribuem para o risco de deficiências nutricionais.

Conclusão

O que realmente é importante para manter a produção de leite é amamentar o bebê sob livre demanda, sempre que ele quiser ou que a mãe perceber que ele está com fome. “Deve-se oferecer o peito sem marcar hora e amamentar várias vezes durante o dia e a noite, quando for necessário”, complementa a nutricionista.

Mais informações sobre amamentação, introdução alimentar, alimentação infantil (quais alimentos escolher, como prepara-los e oferecê-los) estão disponíveis no Guia alimentar para crianças menores de 2 anos, publicação do Ministério da Saúde.

Por Minha Saúde

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário