Início » Notícias » Sintomas da depressão: como evitá-los
Bem-Estar

Sintomas da depressão: como evitá-los

Alguns hábitos podem melhorar os sintomas apresentados pela depressão e auxiliar os pacientes no tratamento da doença

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de pessoas com sintomas da depressão nos últimos dez anos subiu para 18,4%, atingindo 322 milhões de indivíduos. O dado já é maior do que a população brasileira e corresponde a 4,4% da população mundial

Somente no Brasil, 5,8% da população sofre com esse problema, sendo a maior taxa em toda a América Latina. A doença tem avançado a cada ano junto com outros transtornos psicológicos, como a ansiedade e o estresse

Problemas como esses afetam a qualidade de vida da população e prejudicam as relações sociais. Não é à toa que a depressão é a principal causa de incapacidade no mundo e contribui para os altos índices de suicídio todos os anos, cerca de 800 mil mortes, explica a Organização Pan-Americana de Saúde

Portanto, falar sobre esse problema é muito importante para auxiliar aqueles que estão passando por essa dificuldade e precisam de ajuda. A seguir explicaremos detalhes sobre essa doença e daremos algumas dicas de como evitar os sintomas da depressão

Depressão: o que é?

A depressão é uma doença que atinge uma grande parcela da sociedade e está entre os transtornos mentais mais prejudiciais, já que ela se manifesta muitas vezes de forma silenciosa e leva à incapacitação se não for tratada adequadamente. 

Considerada um distúrbio afetivo, a depressão é caracterizada pelo sentimento de tristeza profunda, pela baixa autoestima, pelo pessimismo e por pensamentos suicidas. Existem também diferentes níveis de depressão, indo desde um estado de sofrimento profundo onde a pessoa está prestes a cometer suicídio, até a falta de vontade de levantar da cama, por exemplo. 

O termo “depressão” foi usado com uma definição próxima à atual pela primeira vez no século 19, quando os pacientes daquela época passaram a ser tratados de forma mais “humanizada”. Desde então, o número de casos da doença cresceu enormemente pelo mundo e hoje está entre as principais patologias que afetam a psique humana. 

Diagnóstico

O diagnóstico da depressão é realizado por profissionais da saúde após um acompanhamento do paciente. Essa não é uma doença simples de ser diagnosticada, já que os sintomas são confundidos com outros transtornos e podem ser negligenciados. 

Por isso, um olhar externo é muito importante para identificar essa doença, como um acompanhamento com psicólogo ou com um psiquiatra. É através desses encontros que o profissional consegue identificar a frequência com que os sintomas surgem no paciente e as suas complicações para finalmente chegar ao diagnóstico.

Causas da depressão

Há muitos fatores e até mesmo combinações de situações que podem influenciar no desenvolvimento da depressão. Veja a seguir quais são eles:

Eventos sociais

Diversos eventos sociais podem se tornar gatilhos para o desenvolvimento da doença, ainda mais se o indivíduo passou por alguma situação traumática. Pessoas que possuem predisposição genética a desenvolver a depressão possuem um risco elevado de se tornar depressivo ao passar por um evento como esse. 

Entre os exemplos de situações traumáticas que podemos citar estão: a morte de uma pessoa muito próxima, uma separação conjugal, acidentes de trânsito com vítimas fatais, assalto, abuso sexual, violência doméstica, entre outros.

Genética

A genética é outro fator que influencia no desenvolvimento da depressão. Há uma estimativa de que a genética contribui em 40% para o desenvolvimento da doença. Portanto, ter histórico na família também é um sinal de alerta.

Bioquímica cerebral

Outro fator que pode contribuir para o desenvolvimento dessa doença é a bioquímica cerebral. Neurotransmissores como serotonina, noradrenalina e dopamina são responsáveis por diversas funções como a regulação do humor, sono, apetite e até da atividade motora. Quando há uma deficiência desses neurotransmissores, que são substâncias cerebrais, a pessoa pode ter dificuldade em controlar o próprio humor, por exemplo, e se torna mais suscetível à depressão.

Principais sintomas da depressão

A depressão pode se manifestar em cada pessoa de uma forma diferente, por isso, há muitos sintomas que apontam para essa patologia. A seguir, você poderá conferir os principais sintomas dessa doença.

Falta de motivação

A falta de motivação é um sintoma que pode ser confundido com preguiça ou cansaço, mas que na verdade, é um sinal de alerta para a depressão. A pessoa não sente vontade de levantar da cama, não quer trabalhar, não quer estudar e nem fazer atividades que antes eram prazerosas

Humor depressivo

humor depressivo é outro sintoma muito característico da depressão. Ele é caracterizado por uma tristeza profunda e por um vazio onde a pessoa não consegue preencher com coisas positivas. É como se tudo à sua volta fosse triste, solitário e vazio.

Insônia

Outro sintoma que acompanha aqueles que sofrem com a depressão é a insônia. Esse mal pode surgir tanto na dificuldade em pegar no sono quanto na incapacidade de voltar a dormir após despertar na madrugada. É um sintoma que leva a várias complicações, como o cansaço físico e o estresse emocional.

Variação do apetite

A variação do apetite também é um sintoma associado ao quadro de depressão. A pessoa pode ter muita fome ou sofrer com a falta de apetite. As duas formas de variação podem ser um alerta para a doença.

Diminuição do interesse sexual

Outro sintoma muito comum em pacientes com depressão é a diminuição do interesse sexual. Esse sintoma está relacionado com a falta de motivação. A pessoa com depressão não sente vontade de fazer coisas prazerosas, ela perde completamente a motivação. 

Falta de concentração

A falta de concentração também é um sintoma da depressão e ela pode surgir quase que imperceptivelmente. A pessoa pode ficar mais desatenta, ter dificuldade em prestar atenção em certas atividades e não conseguir se concentrar em coisas do dia a dia como ler um livro, por exemplo. 

Como evitar os sintomas da depressão?

Após diagnosticada, a depressão deve ser tratada de acordo com a orientação dada pelo psicólogo e pelo psiquiatra. Em complemento ao tratamento, é possível incluir algumas atitudes que podem evitar a manifestação dos sintomas da doença. Veja a seguir quais são essas atitudes!

Psicoterapia

A psicoterapia é o atendimento psicológico realizado por um psicólogo ou psiquiatra. Fazer sessões de psicoterapia ajuda no tratamento da depressão e possibilita evitar os sintomas. É através dos encontros que a pessoa consegue entender mais sobre o que está sentindo, falar abertamente sobre a doença e ter autoconhecimento que será muito benéfico para sua saúde mental.

Atividade física

afastam os sintomas da depressão

Fazer atividade física regularmente também pode ajudar no tratamento da depressão. Durante sua prática, o cérebro libera substâncias que promovem o bem-estar, como a dopamina, algo muito importante para que a pessoa se sinta bem. Além disso, a atividade física também possibilita aumentar a autoestima, o que é de grande utilidade para a pessoa que tem depressão.

Alimentação equilibrada

Outra dica importante para quem quer evitar os sintomas da depressão e auxiliar no tratamento é ter uma alimentação equilibrada. Comer vegetais, grãos integrais e produtos mais naturais contribui para uma melhor saúde física e mental. Por isso, é recomendado que o paciente com depressão tenha uma alimentação saudável e preze pelo equilíbrio no prato. 

Meditação

Praticar meditação também é uma forma de auxiliar no tratamento da depressão e evitar os sintomas dessa doença. A técnica é uma ótima aliada para o autoconhecimento, para a liberação do estresse e da ansiedade, ajuda na concentração e contribui enormemente com a saúde mental. Por isso, essa é uma dica que a pessoa com depressão pode utilizar para complementar seu tratamento. 

Bons relacionamentos interpessoais

Ter bons relacionamentos interpessoais também ajuda no tratamento da depressão e possibilita evitar os sintomas. Isso significa construir relações de amizade, de companheirismo, fortalecer vínculos familiares e ter pessoas queridas por perto para enfrentar esse problema. Sabemos que tudo fica mais difícil quando temos que superar os desafios sozinhos. Sendo assim, conte com pessoas próximas para ter apoio nesse momento.

Como é o tratamento da depressão?

O tratamento para a depressão varia de acordo com cada diagnóstico. Na maioria dos casos, é recomendado o uso de medicamentos antidepressivos e o acompanhamento psicoterápico. O tratamento medicamentoso é orientado pelo profissional de saúde com base no tipo de depressão apresentada. Já a psicoterapia deve ser feita por todos os pacientes para auxiliar nas outras medidas adotadas. 

Não há uma duração específica para o tratamento de depressão, sendo que muitos casos são crônicos e duram a vida toda. No entanto, é possível reduzir os sintomas e oferecer mais qualidade de vida para o paciente. Por isso, o mais importante é ter um acompanhamento profissional de perto para que possa ficar livre dos problemas causados pela doença ao longo do seu tratamento. 

Por Minha Saúde

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário