Início » Notícias » Xixi de gato: entenda o comportamento dos felinos
Pets

Xixi de gato: entenda o comportamento dos felinos

Os felinos são, sem dúvidas, animais incríveis. Engraçados, divertidos, cheios de personalidade e muito independentes, eles encantam pessoas por todo o mundo há muitos séculos. No entanto, um fator é quase uma unanimidade: o xixi de gato tem um odor muito forte, desagradável e pode ser um problema quando falamos sobre esses adoráveis pets.

O que poucos tutores sabem, no entanto, é que o comportamento do gato e os seus hábitos relacionados à micção estão super interligados. Extremamente metódico e higiênico, o felino não tem, em sua natureza, o costume de urinar em qualquer lugar.

Por isso, hoje, entenderemos melhor como essa relação entre comportamentos e “hábitos de banheiro” é estabelecida nos felinos e o ajudaremos a, enfim, compreender melhor o seu grande amigo de quatro patas e suas necessidades. Boa leitura!

Como funciona a urina dos felinos?

Para entendermos como funciona o xixi do gato, precisamos, primeiro, entender como esse animal vive na natureza. Os felinos em geral são animais que retêm muita água e a ingerem em pouca quantidade. Por isso, sua urina é muito concentrada e tem um pH levemente ácido, beirando em torno de 6.0 a 6.5.

Essas características foram, é claro, trazidas dos grandes felinos para os bichanos domésticos. Sendo assim, vamos à primeira dica de nossa conversa: forneça opções úmidas de alimentação ao seu gatinho (como sachês e patês), sempre com orientação veterinária. Isso ajudará na ingestão hídrica e reduzirá as chances de desenvolvimento de problemas de saúde, como os que veremos a seguir.

Qual é a relação entre a micção e o comportamento dos gatos?

Gatos são animais “cheios de manias”. Desde filhotinhos, eles aprendem a fazer suas necessidades em uma caixinha e enterrá-las. Esse é um hábito, além de higiênico, que tem muito a ver com a necessidade de se esconder, tanto de predadores, quanto de presas.

Por isso, qualquer alteração nesse equilíbrio pode indicar algum problema, tanto de saúde (como infecções urinárias, ou cistites), quanto de comportamento (competição com outros gatos, medo de usar a caixinha, entre outros). É fundamental estar atento aos sinais de que algo pode estar errado.

Quais sinais podem indicar algum problema com o xixi de gato?

Agora, veremos alguns sinais que podem indicar que algo está errado com a saúde de seu pet ou com o seu comportamento no geral. Vamos conferir?

Urinar no local errado

Fazer xixi no lugar errado (em cima da cama ou no chão, por exemplo) é um comportamento que não é natural aos gatos. Por isso, ele pode indicar uma série de alterações comportamentais (medo de outros felinos na casa, inadequação da caixa de areia por motivos de lugar, higiene ou outros) ou até mesmo físicos (dores na coluna, problemas urinários, entre outros).

Idas frequentes à caixinha de areia

Outro problema relacionado ao xixi dos gatos está em idas frequentes à caixa de areia. Caso isso esteja acontecendo, fique de olho no volume do xixi. Grandes volumes podem indicar problemas como a Doença Renal Crônica ou Diabetes. Já pequenas porções, várias vezes ao dia, é um forte indicador de distúrbios urinários, como cistites.

Aumento da ingestão de água

Além do aumento das idas à caixinha de areia, um acréscimo na quantidade de água tomada pelo gatinho durante o dia pode indicar que algo está errado a nível físico, hormonal ou comportamental. Fique de olho!

Alterações na coloração da urina

A urina do gato, como conversamos anteriormente, é altamente concentrada. Isso significa que ela deve ter uma cor amarela forte. Qualquer tipo de alteração (tanto para mais quanto para menos) nesse tom deve ser levado em consideração, pois indica a presença de outras substâncias (como sangue) no xixi ou a perda da concentração dessa urina.

Mudanças no aspecto do xixi

O aspecto do xixi do gato também deve ser levado em consideração. Ele deve ser fluido e leve. Se aparecer viscoso ou com um aspecto pesado, fique ligado e leve o seu bichano ao veterinário o quanto antes.

Marcação de território

A marcação de território é um dos problemas comportamentais mais frequentes em gatos. Embora seja mais comum em animais não-castrados, ela também pode acontecer em animais esterilizados e até mesmo em fêmeas. Identificar a causa desse comportamento é de extrema importância para trazer mais conforto e bem-estar ao pet.

O que esses sintomas podem indicar?

Como mencionado, os sinais clínicos envolvendo a urina dos felinos deve ser sempre um sinal de alerta para o tutor, já que podem indicar problemas de origem fisiológica ou comportamental. A seguir, veja algumas causas possíveis para isso:

  • problemas renais;
  • problemas urinários;
  • problemas hormonais;
  • medo;
  • estresse;
  • falta de enriquecimento ambiental;
  • problemas no sistema músculo-esquelético.

Vale a pena lembrar que a idade avançada também pode fazer com que os padrões do xixi do gato sejam alterados. Ele pode, por exemplo, sofrer de degenerações cognitivas — uma espécie de Alzheimer dos animais — e se sentir confuso e esquecido. Outras causas, no entanto, devem ser eliminadas para que esse diagnóstico seja obtido.

Quando levar o pet ao veterinário e quais são os tratamentos para isso?

O ideal é levar o animal ao veterinário assim que os sintomas forem observados. Apenas esse profissional poderá identificar as causas — por meio de uma entrevista com o tutor, exames físicos, de imagem e laboratoriais e a partir do histórico do pet — e tratá-las adequadamente.

Alguns casos — especialmente os de problemas urinários, que normalmente envolvem cálculos que podem obstruir o canal pelo qual sai o xixi — são considerados emergências, ou seja, precisam de atenção imediata para evitar uma evolução negativa do quadro e até ao óbito do animal.

Felizmente, nem sempre isso acontece. Quadros renais e urinários podem ser estabilizados e o animal pode ter qualidade de vida por muitos e muitos anos. O tratamento pode ser cirúrgico, medicamentoso ou de suporte, como alteração da dieta para evitar a progressão do quadro. Já nos casos de dores, a fisioterapia felina pode ser uma ótima alternativa.

Agora que já sabemos como é a relação entre o xixi do gato, sua saúde e seu comportamento, não descuide: esteja sempre atento aos sinais clínicos mostrados pelo seu bichano. A intervenção rápida de um veterinário fará toda a diferença nesses casos, que são considerados, algumas vezes, emergências!

Por Ative

Tags

Sobre o autor

Edna Antonowiski

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário