Selecione a Cidade

Safras 23/24 de soja e de milho são atualizadas por consultoria

As últimas semanas foram “extremamente relevantes” para as safras brasileiras de soja e milho, sinaliza a Hedgepoint Global Markets em seu mais novo relatório, publicado nesta quarta-feira (22).

 

A consultoria lembra que as enchentes no Rio Grande do Sul seguem impactando os trabalhos de colheita da soja e trazendo incertezas sobre a produção do estado, enquanto no milho a principal dúvida se encontra no impacto da baixa umidade do solo no Centro-Oeste.

 

Maiores perdas de soja

Para a empresa, os impactos da tragédia gaúcha serão consideravelmente maiores do que os previstos pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A estatal, em levantamento divulgado em 14 de maio, realizou um corte de 400 mil toneladas na produção de soja do estado do Sul, indicando, agora, colheita de 21,4 milhões de toneladas.

 

“Contudo, entendemos que os impactos das enchentes serão muito maiores do que o atualmente previsto pela Conab. Segundo a Emater/RS, houve redução drástica na qualidade dos grãos em comparação ao produto obtido antes do excesso de chuvas. Estima-se que a área colhida alcançou 85%. Além disso, o avanço provavelmente será pouco significativo nos próximos dias, já que muitas lavouras, dos 15% restantes, devem ser abandonadas em razão da inviabilidade econômica, ou seja, a colheita dessas áreas não cobre os custos da operação, o frete e os descontos aplicados no recebimento pelas cerealistas”, explica o analista de Grãos e Macroeconomia da Hedgepoint, Alef Dias.

 

Com isso, a consultoria estima que a produção do Rio Grande do Sul será de 18,2 milhões de toneladas.

 

Por conta disso, a estimativa para a safra brasileira é de 145,9 milhões de toneladas no ciclo 23/24, 4,1 milhões de toneladas menor do que a leitura anterior.

 

Milho: menos pessimismo

No milho, o foco do mercado está nos estágios finais da safra de inverno, que deve ter sua colheita iniciada nas próximas semanas.

 

“Desde nossa última atualização de safra, diversas regiões do Centro-Oeste receberam chuvas abaixo da média, mantendo a umidade do solo nas mínimas dos últimos 5 anos e somente algumas regiões do MT estão com condições favoráveis de safra, segundo a Conab”, observa Dias.

 

Para ele, apesar de se tratar de condições distantes das ideais, a consultoria entende que a estimativa da Conab é “extremamente pessimista para a região, especialmente em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. As agências locais apontam que o plantio dentro da janela ideal deve levar a produtividades melhores do que as estimadas pela Conab, ainda que menores do que as da safra passada”, pondera.

 

Assim, a Hedgepoint projeta que a produção total de milho do Brasil será de 117,1 milhões de toneladas na safra 23/24. “Com isso, 2 milhões de toneladas menor do que nossa leitura anterior, mas 5,5 milhões de toneladas acima da estimativa da Conab”, pontua.

 

Contudo, Dias lembra que o clima nos próximos dias deve seguir extremamente seco em todas as principais regiões. “Então, cortes adicionais – ainda que menores – não devem ser descartados”.

 

*Com informações Canal Rural

Quer receber em primeira mão nossas principais notícias e reportagens?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *