Selecione a Cidade

#Agronegócio

O mercado físico do boi gordo voltou a deparar com algumas negociações abaixo da referência média nesta semana.

 

O dia foi pouco fluído em termos de negócios. Os frigoríficos ainda operam com escalas de abate bastante confortáveis, em média acima dos dez dias úteis, disse o analista da consultoria Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias.

 

A expectativa é de novos movimentos de pressão de queda no curto prazo, mesmo em uma semana em que teoricamente o consumo de carne é positivo, com boa reposição entre atacado e varejo diante da entrada da massa salarial.

 

A condição ruim das pastagens dificulta a retenção dos animais nas fazendas, com chuvas pouco representativas no Centro-Oeste, Sudeste e parte da região Norte incrementando a oferta de boiadas, assinalou Iglesias.

 

Preços da arroba

  • Araçatuba (SP): R$ 222
  • Goiânia (GO): R$ 203
  • Uberaba (MG): R$ 212
  • Dourados (MS): R$ 217
  • Cuiabá (MT): R$ 207

 

Boi no atacado

O mercado atacadista teve preços acomodados para a carne bovina.

 

“O viés ainda é de alguma alta no curto prazo, considerando a entrada dos salários na economia, motivando a reposição ao longo da cadeia produtiva, mesmo assim, esse movimento de alta no atacado parece insuficiente para motivar a recuperação dos preços da arroba do boi gordo”, ponderou Iglesias.

 

O quarto traseiro ainda é precificado a R$ 17,00 por quilo. A ponta de agulha segue a R$ 12,50 por quilo. O quarto dianteiro permanece no patamar de R$ 12,50, por quilo.

 

*Com informações Canal Rural
Imagem: Ministério da Agricultura

Quer receber em primeira mão nossas principais notícias e reportagens?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *